Terça-feira, 17 de Agosto de 2010

- O meu treino

Rui Miguel Pancadares é neste momento o meu treinador, para quem não sabe é dono da loja Rbikes em Ota(mais info em Patrocínios e Apoios), tenho acompanhamento semanal, fiando-me num plano mensal que tento manter o rigor e a determinação.

Para se determinar as bases de construção deste plano, foi necessário fazer um Teste Lactato no inicio da época para determinar os parâmetros necessários para a sua elaboração. Este teste é feito com a nossa bicicleta (de ciclismo) montada nuns rolos profissionais com sistema informático acoplado. Com este teste será avaliada a tua taxa de esforço, tendo um intervalo de tempo que irá ficando mais difícil à medida que vais chegando ao teu limite (cheguei a um limite que nem eu sabia que conseguia), o que pode surpreender a própria pessoa.

 

Depois de estudado os dados realizados no teste, o treinador fica com uma base de apoio para te dar o treino, equacionando as vezes que podes treinar e os teus objectivos. No meu caso tinha disponibilidade total todos os dias da semana. Depois de uma pré-época recheada de atletismo e ginásio com pouca utilização à bicicleta, é tempo de começar a largar pouco a pouco o trabalho complementar e passar aos treinos na bicicleta. Esta transição tem de ser cuidadosa, pois acabamos a época com uma boa performance na bicicleta e não podemos querer estar com a mesma performance, é algo que vem devagar e com naturalidade.

 

Na fase 1 os treinos vêm recheados de treinos "E" de endurance para rolar bastante e fazer muitos km para as pernas se adaptarem de novo á rotação da pedalada e treinos "S" de Sprint e Rotação elevada, para as pernas se habituarem á mecânica da pedalada. Nesta fase ainda se faz algum ginásio para não e largar por completo o trabalho feito até então. É natural que nesta fase tenhas alguma dificuldade a subir e estejas sempre a ser ultrapassado pelos teus amigos, mas faz parte dos treinos, porque tudo tem um tempo para se treinar. Dica: A alta rotação vai-te dar um bom suporte de pedalada ajudando mais tarde a conseguires maior estabilidade respiratória e maior facilidade em subir sem teres que "martelar" os cranques. Rotação ideal - 100/110 rpm

 

Na fase 2 deixas por completo o ginásio e vocacionaste exclusivamente para a bicicleta, pois é neste desporto que queres ter melhor performance. Nesta fase continuas com treinos de endurance, sprint´s e são adicionados alguns de alta rotação em posição aerodinâmica (ajuda o teu corpo a adaptar-se à geometria da bicicleta) e começas os treinos "F" de força fazendo séries de subida. Dica: se queres fazer series, não as faças de seguida com intuito de despachares o treino, deixa os batimentos do coração repousarem antes de voltares à carga, lembra-te que o descanso é tão importante como o próprio treino.

 

Na fase 3 a carga horária vai aumentando de acordo com os teus objectivos e será adicionado um dia de descanso, muito importante para poderes recuperar entre treinos duros. São incorporados treinos de descanso activo, treinos de explosão e todos os outros tornam-se mais "violentos", sendo preciso alguma determinação e um objectivo sólido para teres sempre vontade de treinar. Dica: esta fase é necessário um acompanhamento mais minucioso e maior atenção como treinas, porque pode surgir lesões se não estiveres atento a fazeres o indicado pelo teu treinador. Se puderes ter massagens desportivas, é de aproveitar, assim como toda a nutrição que te deve acompanhar diariamente sem falhas.

 

Quanto mais se treina mais fases irão vir com a evolução, só cabe a ti e ao teu treinador fazerem o balanço da evolução para tirarem a melhor performance física.

 

Bons treinos :)

Carlos Vitorino às 19:11
|

MENU

TREINOS E NUTRIÇÃO

- O meu treino

- Informações

- Suplementação

- Nutrição Desportiva

- Ferro, o que é?

- Glutamina, o que é?

- Treino, o melhor?

- Nutrientes

Creatina, o que é?

Inosina, o que é?

Patrocínios

Hora

Nº Visitantes


Contador de visitas

Comentários

Toca a votar

Tradutor